Como era de se esperar o mundo está se preparando para visitar o Brasil no ano que vem, faltam tão somente 8 meses para o ponta pé inicial da competição esportiva mais importante do mundo, onde as seleções de 32 países (incluindo o Brasil) buscam consagrar-se campeãs.

Nesse momento, muitos turistas começam a planejar suas viagens para acompanhar a seleção de seus países nessa festa esportiva mais emocionante do mundo.

Mas nem tudo é maravilha, tanto turistas quanto o próprio governo brasileiro estão preocupados com a subida dos preços, tendo em vista que São Paulo e o Rio de Janeiro já são consideradas umas das cidades mais caras do mundo, a preocupação é justamente com a imagem do país.

Futebol, a oportunidade de apresentar-se ao mundo

copacabana
Um evento esportivo com a Copa do Mundo sendo realizada no Brasil é uma grande oportunidade para nosso país se mostrar ao mundo, vários estádios foram reformados para enquadrar-se no padrão FIFA, o Brasil agora com todas estas reformas já possui estádios com padrão internacional, capaz de receber entusiastas do futebol com conforto e segurança.

Porém, a Copa do Mundo vai muito além dos estádios, os hotéis por exemplo, muitos deles já passaram por reformas pensando em receber ainda melhor o público que procura hospedar-se com qualidade em nossa terra.

O problema reside justamente nos preços, que segundo estudos tem tudo para subir ainda mais durante o evento, por essa razão, as autoridades nacionais estão trabalhando com medidas para segurar os preços, preocupados com a imagem negativa que o evento pode deixar. Se tivermos preços muito elevados durante o Mundial, os turistas não terão vontade de retornar ao Brasil.

A Embratur realizou uma pesquisa onde comprova que alguns hotéis que estão na lista dos Hotéis para a Copa do Mundo 2014, custarão até 583% a mais do que custam atualmente.

O jornal colombiano El Tiempo, destacou que o governo brasileiro vem apresentando recursos contra a empresa Match, operadora turística da FIFA, com a finalidade de baixar os preços que estão sendo cobrados pelos quartos de hotel, durante a Copa do Mundo. Há suspeitas de que exista sobre-faturamento de até 40% em relação ao preço negociado com os hotéis, segundo fontes oficiais.

Presidente da Embratur se explica ao mundo

copacabana-palace
O recurso foi apresentado contra a Match e também contra a FIFA perante ao Órgão de Defesa do Consumidor do Ministério da Justiça, conforme explicou Flávio Dino, presidente da Embratur, durante uma entrevista à agência EFE:

Queremos que as taxas sejam reduzidas, ou que pelo menos, fique bem claro aos compradores qual é a margem de lucro que a Match obtém com cada operação.

Flávio Dino informou que a Embratur ainda identificou um valor de 40% a mais nos preços oferecidos pela Match, do que os preços vendidos diretamente pelos hotéis.

Nessa mesma entrevista o presidente da Embratur declarou:

Consideramos que as taxas de intermediação praticadas pela Match são abusivas. Por essa razão já solicitamos que seja aberta uma investigação.

Ainda assim, Flávio Dino contou que a Match já realizou reservas para aproximadamente 80% dos leitos disponíveis nos hotéis de quatro e cinco estrelas, nas 12 cidades sedes da Copa do Mundo 2014, e enfatizou:

Esperamos que essas taxas sejam repensadas, ainda mais pois os preços dos hotéis brasileiros já são altos, dessa forma eles ficam ainda mais caros e isso pode espantar os turistas. Um turista russo que vem ao mundial, por exemplo, não sabe o motivo desse preço. Ele sabe que pagou 500 dólares por uma hospedagem, mas não sabe que 350 era o custo do hotel e que 150 ficou nas mãos da Match. Queremos que isso fique claro.

O governo brasileiro não pode proibir os negócios de mercado que são passíveis de oferta e procura, a menos que sejam comprovadas práticas abusivas que impeçam a livre concorrência, por isso, a Embratur vem brigando para que a Match revise as taxas cobradas de seus clientes, ou que pelo menos explique o motivo dos custos tão elevados do mercado de hotelaria no Brasil durante a Copa do Mundo.

Flávio Dino ainda acrescentou:

Estamos preocupados com a imagem que irá ficar: que fazer turismo no Brasil é caro. Queremos que o russo possa dizer ao seu vizinho, aos seus parentes, que pagou caro em razão do intermediário.

selecao-brasileira

Internamente, a Embratur está negociando com os hotéis para que considerem a tarifa negociada com a FIFA como um teto, não como o preço inicial de suas habitações, para beneficiar aos turistas que chegam ao Brasil sem a intermediação da Match.

O presidente da Embratur explicou:

Nossa preocupação é que pensando na aproximação do evento e da eventual falta de leitos, as tarifas que foram negociadas com a Match, que já são muito altas, sejam vistas como preço inicial no mercado.

Ele ainda afirmou que o objetivo principal da Embratur será o de combater os preços abusivos, pois sabem que os altos valores praticados durante a Copa do Mundo poderão prejudicar o país no longo prazo.

Também explicou sua preocupação com o futuro:

No setor, há pessoas que não entenderam que cobrar preços altos é prejudicial. Sim, os estrangeiros estão chegando cada vez mais ao Brasil, mas depois de 2017, após o Mundial e os Jogos Olímpicos (2016), veremos qual foi a imagem que ficou registrada. Por agora, as notas dadas pelos visitantes é positiva, segundo os dados de pesquisas que realizamos. Mas, todos as pesquisas sempre nos revelam luz amarela ou vermelha, quando se trata de custos.

Porém, este recurso contra a Match não é a única iniciativa do governo brasileiro, que preocupado por sua imagem, criou um comitê de controle de preços, para evitar os custos abusivos em serviços nos aeroportos, hotéis, restaurantes e entradas para os jogos da Copa.

A função do gabinete é evitar as possíveis especulações financeiras, garantindo a defesa do consumidor, não existirá uma lista de preços fixos, porém, serão feitos controles nas 12 cidades sedes da Copa do Mundo 2014.

fuleco-mascote-copa

São esperados cerca de 600 mil turistas estrangeiros nesta Copa do Mundo 2014, umas 30 vezes mais do que já recebemos na Copa das Confederações, como sempre, existem grandes oportunidades e também grandes riscos.

Considerações Finais

Ao apostar neste evento tão importante, o Brasil já fez bilhões de dólares de investimentos, públicos e privados, para garantir o sucesso e a boa imagem do país para o mundo, porém, nós como brasileiros temos que saber aproveitar as oportunidades e minimizar os riscos, podendo tirar o melhor proveito da Copa do Mundo pensando no longo prazo, não somente em nossos bolsos, e de forma imediata.

Espero que nós como turistas ocasionais, possamos ser bons anfitriões, está chegando a hora de sermos turistas em nosso país, mas sobretudo, mesmo estando em uma cidade que não é a nossa, ajudar e atender bem aos turistas estrangeiros que estarão ansiosos por conhecer tudo o que nosso país tem a lhes oferecer.

* Fonte: Nomadistas | El Tiempo

Booking.com
Booking.com
Booking.com
Booking.com

DEIXE UMA RESPOSTA