Visitar Milão é uma experiência que todos deveriam ter, de entrada você encontrará uma cidade muito desenvolvida com edifícios grandes e muito movimentada, a capital da moda é também um dos grandes motores da economia européia.

Se você está chegando na Itália por Milão, no aeroporto Malpensa, recomendo que não gaste seu dinheiro em táxi. Você poderá comprar facilmente um bilhete de metrô que parte de dentro mesmo do aeroporto, uma forma muito mais econômica de iniciar sua viagem pela ‘bella Italia’.

Minha experiência por Milão foi bastante interessante, por mais que tenha reservado somente dois dias para conhecer essa cidade tão grande e importante, ícone europeu.

Cheguei num 31 de dezembro, data muito peculiar pois poucos viajam na virada do ano, enfim, passei o Ano Novo (Rèveillon) em Milão, história essa que contei em outro post e recomendo muito a leitura pois o que vivi neste dia ninguém jamais se imaginará.

Como se locomover em Milão?

Quero começar a comentar sobre a forma de se locomover em Milão (e também em qualquer cidade grande da Itália), preferi não alugar um carro já no dia que cheguei, o motivo é simples: os hotéis cobram pelo estacionamento e o transporte público é bom o suficiente para que você deixe seu carro parado.

Tram Milano

TRAM, transporte barato dentro de Milão (€1,50).

Passear de carro numa cidade destas é um grande erro, estacionamentos são escassos e você não vai aproveitar como deveria. Quebre o paradigma, o transporte público é muito bom, barato e pontual na Itália. Viajávamos de nosso hotel (Holiday Inn) para o centro da cidade (região da Duomo) por somente €1,50.

Os bilhetes devem ser comprados antecipadamente, não há cobrador no ônibus, tram ou metrô, sempre perto de cada parada você encontrará um local que vende, seja uma banca (conhecida por aqui como “Tabacchi”), em qualquer lugar assim chamado se vendem revistas, cigarros e até café de primeira qualidade.

O que ver em somente 2 dias em Milão?

Bom essa é uma grande pergunta, são tantos lugares, tanta história numa cidade importante como Milão que você realmente fica um pouco perdido. Seguindo conselhos de parentes e amigos, também resultado de alguma busca pela internet, decidimos focar a viagem na região da catedral (Duomo di Milano). Diga-se de passagem um lugar belíssimo.

É nesta região que está tudo o que o turista que possui pouco tempo, está fazendo um giro pela Itália ou até pela Europa precisa ver. Prepare-se para caminhar, mas tudo pode ser feito a pé com um pouco de boa vontade e com algumas pausas.

Os principais pontos para se visitar são:

  • Duomo di Milano
  • Museo del Duomo
  • Museo del Novecento
  • Palazzo Reale
  • Galleria Vittorio Emanuele II
  • Castello Sforzesco / Parco Sempione
  • I Navigli

São tantos lugares, tanta arte, você não irá conhecer a história em Milão, estará pisando sobre ela e é isso que faz da Itália um lugar tão fascinante. Você não vê história, você vive a história em cada edifício, cada construção, cada cantinho particular que somente você encontrará. Não há uma fórmula de sucesso melhor do que caminhar pelas pequenas ruas e encruzilhadas de Milão.

Vamos conhecer os lugares?

Duomo di Milano, Museo del Duomo e Museo del Novecento

Essa é a catedral, saiba que em qualquer cidade da Itália quando ler ou ouvir falar de “Duomo” estão falando da Catedral. Cada cidade grande possui uma, a grande maioria é imperdível até para ateus, não é um lugar somente religioso. Todas essas construções são verdadeiras obras de arte, não deixe de visitar cada uma delas (entrada gratuita, são igrejas).

Duomo di Milano

Duomo di Milano, beleza por fora e por dentro.

Duomo di Milano, do latim “Domus Dei” (Casa de Deus) possui um estilo gótico, com uma fachada neogótica. Essa catedral foi construída durante séculos, evidentemente tantos detalhes não poderiam levar menos tempo. Ela possui muitos mas muitos detalhezinhos que dão arrepios. Você entrará num mundo totalmente diferente ao visitá-la, vale a pena entrar com tempo e pagar a pequena taxa de €2 para poder tirar fotos no interior.

Essa igreja começou a ser construída no ano de 1387, estamos falando de quase 700 anos de história, são 157 metros de comprimento e pode suportar até 40.000 pessoas no seu interior.

O interessante da história é perceber como essa catedral era o centro da Antiga Roma, com as ruas projetadas todas ao redor ou até mesmo partindo da praça. O Duomo di Milano somente foi terminado no início de 1800, quando Napoleão, prestes a ser coroado o Rei da Itália ordenou que fosse terminada a fachada.

Em síntese, o principal ponto turístico de Milão, totalmente imperdível.

Dentro do Duomo está o Museo del Duomo, é de entrada opcional mas certamente você irá encontrar ainda mais história desse lugar fascinante. Não tive o prazer de entrar pois estava fechado para visitação no dia em que passei por ali.

O Museo del Novecento está ao lado direito se você olhar a Catedral de frente, sua proposta é um pouco mais moderna e abriga a história artística do século passado, também é imperdível e possui o ano inteiro a exposição de obras de arte de artistas importantes como Picasso, Morandi e Boccioni.

O Palazzo Reale é outros dos referentes no que se refere à arte em Milão, o edifício hospeda mostras de diferentes formas expressivas, são pinturas, esculturas, fotografias e até audiovisuais.

O Palácio em si é repleto de história, veja bem, estamos falando da sede do governo romano até o final da Idade Média, desempenhou um importantíssimo papel político e estratégico naquela época. Perto do final do século XVIII o edifício sofreu mudanças estéticas e passou por reformas adotando um estilo neoclássico, criado pelo arquiteto Giuseppe Piermarini. Depois disso se tornou um palácio de reis, inclusive de Napoleão.

Somente em 1919 ele foi passado para o Estado Italiano e aberto ao público, infelizmente em 1943 um bombardeio da segunda guerra destruiu parte do edifício que passou por um longo período de restauração antes de ser devolvido à cidade.

Galleria Vittorio Emanuele II

O que seria da Itália sem essa galeria, ela é considerada o shopping mais antigo do mundo e foi construída na primeira metade do século 19. Para se ter uma idéia participaram 176 arquitetos no projeto inicial, cada qual expondo suas idéias, no final, venceu a de Giuseppe Mengoni.

Eis a Galleria Vittorio Emanuele II, cheia de história, um lugar que hospeda lojas das grifes mais famosas do mundo, um verdadeiro espetáculo da capital da Moda, digno de visitar.
Galleria Vittorio Emanuelle

Galleria Vittorio Emanuelle em Milão, considerado o primeiro shopping do mundo.

Não se esqueça da tradição, lá no centro da galeria você com certeza verá um aglomerado de pessoas, elas estão pisando nos testículos do touro. Calma lá que eu explico, acontece que dizem que pisar com o calcanhar do pé direito sobre as bolas do touro e girar pelo brasão de armas da cidade de Turim traz sorte. Acredite esse ritual é repetido diariamente por milhares de turistas, inclusive a imagem do touro se desgasta rapidamente e é constantemente restaurada.

Castello Sforzesco / Parco Sempione

Este castelo é um dos principais símbolos da cidade de Milão, foi construído no século 15 por ordem de Francisco Sforza. Durante o passar de séculos e gerações o mesmo passou por diversas reformas e modificações, o que o torna ainda mais peculiar.

Ao norte do castelo você encontra o Parco Sempione, um parque verde com aproximadamente 180 metros de largura, com quatro torres angulares.

Castello Sforzesco Milano

Castello Sforzesco, 500 anos de história.

O castelo é muito belo, com uma arquitetura bastante diferente, hoje em dia hospeda uma importante instituição cultural e turística, mas já foi inclusive campo militar entre os anos 1500 e 1600.

Bonito de se visitar inclusive durante a noite, super tranquilo e com a fachada iluminada. Porém, a região é um pouco deserta, principalmente no inverno e vale a pena tomar todos os cuidados para evitar qualquer inconveniente. Milão está repleta de imigrantes desocupados, e como toda cidade grande não é tão segura.

I Navigli

Esta é uma região muito movimentada da capital da moda, você pode passar ali durante qualquer hora do dia e encontrará centenas de pessoas tomando café, comendo e batendo papo em algum de seus intermináveis locais.

Lá existem: lojas, restaurantes, bares, pubs, pizzarias, cervejarias, discotecas, sorveterias e também locais de festas e eventos.

Basicamente são duas vias cortadas por um canal irregular e navegável, que antigamente conformava uma das principais entradas e saídas de barcos e embarcações da Itália para o mar.

Imagens do centro de Milão

Imagens do centro de Milão

Se você deseja conhecer o lado mais animado, com agito e diversão em Milão não pode deixar de dar uma passada por essa região durante a noite, as ofertas gastronômicas e discotecas jamais lhe decepcionarão.

Não se esqueça:

  • Podemos pegar um trem no Aeroporto de Milão (Linate) para o centro da cidade (não pague táxi!)
  • A Catedral da Milão (Duomo di Milano) é lindíssima de noite
  • Não vale a pena mover-se de carro em Milão, use o TRAM (trem elétrico) ou o Metrô
  • Holiday Inn de Milão (Garibaldi) é um excelente hotel econômico e ao lado de uma estação de trem
  • Você só terá uma viagem “redonda” se programar com bastante antecedência
Quer passar férias inesquecíveis na Itália e conhecer as belezas únicas daquele país? Viaje bem e barato com uma empresa aérea nacional de grande qualidade! OFERTA: Passagem barata para Milão (aqui).

* Preço válido no dia da publicação, sujeito a variação sem aviso prévio.

Conclusão / Opinião

Bom, estas são apenas algumas dicas rápidas para você que como eu passará rapidamente por Milão, evidentemente há muito mais o que ver e conhecer, como o Teatro Alla Scala, a Igreja Santa Maria delle Grazie, Pinacoteca di Brera, Pinacoteca Ambrosiana, etc. São todos locais onde você poderá estar em sintonia com a arte e conhecer obras importantes de artistas renomados como Leonardo da Vinci, Bellini, Tiepolo, Caravaggio e Rafael.

Mas, Milão é tudo isso e muito mais, recomendo que você tenha bastante paciência para conhecer cada cantinho da região do Duomo, onde encontrará muitos pontos particulares de arquitetura e história. Se tiver um dinheiro sobrando não deixe de fazer compras na Galleria Vittorio Emanuele II, um dos maiores importantes de compras do mundo.

Não esqueça que na Itália existem muitos Outlets de grifes, portanto não se empolgue pois há como economizar levando peças interessantes. Mas isso comentarei em outro post.

Por hoje é só, espero que tenham gostado desse pedacinho de Milão que lhes mostrei e lhes convido a contar suas experiências na capital da moda se é que já visitaram essa maravilhosa cidade.