Independente da sua religião, uma viagem ao Vaticano será muito proveitosa, não estamos a falar sobre crença mas sim sobre a história do mundo moderno. Visitar o Vaticano é bastante particular, de entrada você estará num país, dentro de uma cidade (sim, o Vaticano fica dentro de Roma).

A divisão é feita por grandes muros, você não passará por burocracia alguma para entrar no Vaticano, não tem migração nem nada disso, o único momento em que você poderá ser revistado é na fila para entrar na Basílica.

Bom, o que faz do Vaticano tão especial? A história, tudo o que você encontrará lá possui séculos de história, começando pela própria Basílica, repleta de detalhes mínimos e esplendor.

Sua praça central é outro ponto importantíssimo pois é lá que os peregrinos chegam e também é lá que o Papa dá o ar de sua graça (de sua janela) todos os domingos.

Por último e não menos importante você poderá visitar os Museus do Vaticano, estes que tiveram seu início no século XVI, quando o Papa Júlio II decidiu colecionar esculturas, de lá para cá o acervo aumentou muito e conta com peças realmente muito preciosas.

Ao contrário do que muitos pensam a maior riqueza da Igreja Católica não é ouro, não pode ser derretida para por exemplo “matar a fome da África”, ou seja lá o que você já ouviu falar. A riqueza do Vaticano é a cultura, a história que dita organização conserva até os dias atuais.

Por esta razão eu quero deixar bem claro que até mesmo um ateu irá aproveitar e muito uma visita ao Vaticano! Vamos conhecer seus principais atrativos?

Piazza di San Pietro / Praça de São Pedro

É basicamente nesta praça que todos os atrativos se concentram, ali você encontra por exemplo o Obelisco do Vaticano, uma importante obra que possui uma interessante história. Para quem não sabe São Pedro (apóstolo Pedro na época) foi o primeiro Papa da Igreja Católica.

basilica sao pedro
Minha esposa (Karen) em frente à Basílica de São Pedro.

A praça como é vista nos dias atuais somente foi construída no ano 1660, com duas séries de colunas idênticas no norte e no sul, tendo como objeto central o Obelisco.

É um belo lugar para passear e tirar fotos, em dia de missa papal esta praça fica totalmente repleta de pessoas que aguardam do lado de fora da Basílica a saída do Papa para entregar a tradicional mensagem dominical (Angelus). Normalmente ele sai numa janela central da Basílica, porém, no dia em que eu estive lá (06/01/13) o Papa apareceu numa janela mais ao alto, no edifício ao lado (penso que ali seja seu próprio quarto).

Papa Benedito XVI na Janela, tradicional mensagem (Angelus)
Papa Benedito XVI na Janela, tradicional mensagem de domingo (Angelus)
Não são todas as missas que são abertas ao público, portanto, existem telões do lado de fora, na Praça de São Pedro, de onde é possível acompanha-la ao vivo e muito próximo do Papa.

Quando estive no Vaticano, especialmente para a missa de Reis Magos, fazia bastante frio e a Missa durou três horas, mas valeu a pena, foi uma experiência única.

Nesta praça você encontrará os Correios do Vaticano (Poste Vaticane), uma informação interessante é que lá os cartões postais são mais baratos que em qualquer outro lugar (€0,50) e você pode ainda enviar para quem você desejar diretamente de lá. Bacana não? Receber um postal do Vaticano com um selo oficial!

Obelisco do Vaticano

Conta a história que o Obelisco do Vaticano foi criado no Egito e levado para o Vaticano anos mais tarde por Calígula (isso lá pelo ano 37 d.C).

Diz a lenda que ele indica o local próximo de onde foi crucificado (de cabeça para baixo no ano 67) São Pedro, por este motivo ele é mantido ali até os dias atuais.
obelisco do vaticano
Multidão em frente ao Obelisco no Vaticano (Foto: André Darugna).

O Obelisco do Vaticano possui 40 metros de altura, se contado até o alto da cruz e diz-se que o Papa Sixto V teria colocado ali pedaços originais da cruz de Jesus Cristo, o significado disso seria que Cristo “venceu” e está acima de tudo.

Basílica de São Pedro

Esta basílica é sem sombra de dúvidas a maior igreja católica do mundo, ela ocupa uma área de 23.000 metros quadrados, podendo receber até 60.000 devotos em seu interior.

O que esperar deste lugar? Beleza, arte, história. Dentro dela existem mais de 340 estátuas e ainda possui por suas paredes e tetos obras de ninguém menos que Michelangelo, Bramante, Rafael e Bernini.

Amanhecer no Vaticano - Vista da Basílica de São Pedro.
Amanhecer no Vaticano – Vista da Basílica de São Pedro.

Como citei anteriormente, naquela área foi enterrado São Pedro, que era na época um dos doze apóstolos de Jesus Cristo, ele também foi nomeado posteriormente como sendo o primeiro na linha da sucessão papal.

A construção atual da basílica data de 1506 e foi demorou mais de 120 anos para ser terminada, e é considerada o maior edifício de seu período artístico.
Parte interna da Basílica de São Pedro.
Parte interna da Basílica de São Pedro.

Mas chega de história, você provavelmente quer saber o que há de interessante lá dentro não é mesmo? Pois bem, lá estão as principais obras de arte dos séculos XV, XVI, XVII, criadas pelas mãos de Michelangelo e Bernini. Destaque para a escultura em marmore “Pietà”, de Michelangelo.

Você encontrará obras por todos lados, e poderá observar o altar papal (que é onde somente o Papa pode subir para celebrar missa), encontrará também várias capelas laterais, e inclusive há uma em particular onde fica exibido o Santíssimo (lá é proibido tirar fotos).

Além disso, estão enterrados diversos papas no local, há um monumento (talhado em pedra) onde você pode encontrar o nome de todos os papas, também existe uma área de confessionários (você pode se confessar em português ou algum outro idioma que domine, existem vários disponíveis).

Minha esposa (Karen) em frente ao altar papal.
Minha esposa (Karen) em frente ao altar papal.

Também dentro da Basílica de São Pedro há um Museu, este gratuito, se chama Museu do Tesouro do Vaticano e uma loja de souveniers. O interessante de comprar ali, além do preço ser igual em todas as outras lojas, é que você pode levar para que o presente seja benzido por algum dos religiosos ali presentes. Basta levar a peça lá na área dos confessionários. Você pode comprar um potezinho na loja e pedir “Água Benta” na Sacristia que fica ao lado da loja. Seja gentil com o guarda e será atendido.

Se não sabe como pedir isso em italiano fica a dica: “Vorrei bendire…”, chegue ao confessionário e peça ao primeiro religioso que você avistar.

Antes de partir não deixe de observar o teto da Basílica e veja como o sol entra pelas janelas deixando um aspecto muito interessante, como se aquele lugar fosse “iluminado” mesmo. A sensação de paz e tranquilidade é tanta que até quem não é muito religioso se sente tocado. É tamanha a história daquele lugar que qualquer um se sentirá emocionado.

Cúpula

Você se desejar poderá subir até o alto, na Cúpula da Basílica, mas para isso deverá comprar as entradas, que são vendidas ali ao lado direito da porta principal, antes de subir as escadas e depois de passar pela vistoria.

Existem duas modalidades, uma delas é a pé, onde você deverá subir os 537 degraus que levam você até o topo, ou então, com um elevador.

A vista lá de cima é espetacular e muito recomendada para quem gosta de aventura, digo aventura pois graças às filas quilométricas você deverá esperar por horas, logo, seu corpo será exigido ao extremo para poder subir as escadas, vá de leve pois há muita gente e você está no Vaticano, nada de discutir com ninguém por qualquer empurrão.

Vista da Cúpula da Basílica de São Pedro.
Vista da Cúpula da Basílica de São Pedro.

A escadaria parece um caracol, você vai subindo e ao chegar no topo terá dado muitas voltas e estará cansado, portanto se não tiver preparo físico é melhor subir de elevador mesmo. Mas, lá em cima será compensado com uma vista impressionante do Vaticano e de Roma, poderá visualizar a Praça de São Pedro, as estátuas, etc.

Do lado de dentro, poderá observar também muita arte e os belíssimos mosaicos da cúpula.

Museus do Vaticano

Bom, os Museus do Vaticano são um espetáculo a parte, se você for até o Vaticano não pode perder este incrível baú da história da humanidade, digo isto pois lá você não encontra somente obras católicas e esculturas de santos, os objetos lá armazenados e cuidados são peças de coleção de milhares de anos.

São peças de acervos pessoais dos papas, importantes pedaços da história reunidos em um só lugar.
Museus do Vaticano
Museus do Vaticano

Você pode comprar os bilhetes para a entrada online, diretamente na página do Vaticano, as entradas custam €16 mas se comprar online paga uma taxa extra de €4, esse é o custo de ter hora marcada e não enfrentar filas.

No dia em que estive não existia fila e depois me arrependi de ter feito a compra antecipada, mas, talvez você não tenha tanta sorte. Tudo depende da época em que você for.

Museus do Vaticano
Museus do Vaticano

Vou repassar os setores (em italiano) e depois darei destaque a três em particular:

  • Sala dei Chiaroscvri
  • Cappella Niccolina
  • Cappella di Vrbano VIII
  • Cappella Sistina (abaixo detalhes)
  • Appartamento Borgia
  • Sala delle Nozze Aldobrandine
  • Gallerie Inferiore
  • Mvseo Gregoriano Egizio
  • Mvseo Gregoriano Etvusco
  • Mvsei di Antichità Classiche
  • Mvseo Pio Cristiano
  • Pinacoteca (abaixo detalhes)
  • Arazzi
  • Ceramica (Sec. IX – XVIII)
  • Mosaici Minvti
  • Collezione di Arte Religiosa Moderna
  • Mvseo Etnologico
  • Mvseo Sacro
  • Mvseo Storico Vaticano
  • Palazzetto del Belvedere
  • Gallerie Svperiori
  • Appartamento di San Pio V
  • Sala delle Dame
  • Sala dell’Immacolata
  • Stanze di Raffaello (abaixo detalhes)
DICA: Compre os ingressos online e evite filas (clique aqui).

Capela Sistina

Essa é sem dúvida a capela mais importante do mundo, a mais buscada e mais apreciada, é nela que estão expostas as pinturas de Michelangelo. O nome “Sistina” se deve ao Papa Sisto IV della Rovere, quem foi pontífice até o ano 1484.

Este papa ordenou a reforma da antiga Capela Magna, a particular decoração do século XV feita nas paredes inclui: falsas cortinas, histórias de Moisés, histórias de Cristo, retratos de pontífices.

A equipe de pintores contava originalmente com Pietro Perugino, Sandro Botticelli, Domenico Ghilandaio, Cosimo Rosselli e seus ajudantes, entre eles Biagio di Antonio, Bartolomeo della Gatta e Lucas Signorelli. A reforma foi terminada em 1482.

Já no ano de 1508, o Papa Júlio II (sobrinho de Sisto IV) decidiu modificar as pinturas parcialmente, foi quando convidou ninguém menos que Michelangelo para o trabalho, que finalmente entregou a Capela Sistina como pode ser observada hoje em dia.

O mais interessante dessa história do Michelangelo ter sido chamado para pintar o teto da capela é que ele se sentia contrariado em fazer esse trabalho, pois se considerava escultor, não pintor. Na idéia dele o chamado tinha sido encomendado pelos pintores rivais da época, para desviá-lo da obra que estava realizando em Roma (o mausoléu do Papa).

Ao centro da obra estão algumas ações: “Deus separando a Luz das Trevas”, “Deus criando o Sol e a Lua”, “Deus separando a terra das águas”, “A criação de Adão”, “A criação de Eva”, “O Pecado Original e a Expulsão do Paraíso”, “O Sacrifício de Noé” e “O Dilúvio Universal e Noé Embriagado”. Já na parede do altar encontra-se a obra-prima “O Juízo Final”.

Pois bem, lá dentro é proibido tirar fotos, em todas as outras seções do museu sim é permitido, o motivo da proibição não ficou bem claro, porém, decidi respeitar esse pedido e não tirei fotos lá de dentro.

Salas de Rafael

Ao lado da Capela Sistina, estas salas representam um dos pontos mais importantes da visita aos Museus do Vaticano, e você deve dedicar um tempo especial para observá-las. Mas afinal, quem foi Rafael?

Rafael Sanzio foi sem dúvida um dos maiores pintores italianos da época renascentista, ao lado de Michelangelo e Leonardo da Vinci. Morreu muito jovem, com somente 37 anos, porém mesmo assim conseguiu deixar incríveis obras que hoje fazem parte importante da história da humanidade.

Salas de Rafael
Parede de uma das Salas de Rafael. É assim mesmo, arte na parede. Lindo!

Assim como Michelangelo foi contratado para pintar parte da Capela Sistina, Rafael foi convidado a pintar quatro salas internas do Vaticano, trabalho que realizou até sua morte em 1508. Mas, ele não pintava sozinho como Michelangelo, contava com a ajuda de assistentes que inclusive ajudaram a terminar uma das salas após sua morte.

As quatro salas chamam-se:

  • Sala da Segnatura, que foi a primeira a ser pintada por ele;
  • Sala do Incêndio no Borgo, onde Júlio II realizava reuniões e depois Leão X transformou em sala de música;
  • Sala de Heliodoro: onde o tema principal é a proteção divina;
  • Sala de Constantino: uma homenagem a Constantino que tornou o Cristianismo a religião oficial de Roma, acabando com a perseguição aos cristãos.
Todas as salas contam com pinturas incríveis, com mais de 500 anos de história e muito bom gosto, pinturas que transmitem história e você pode observar a pouquíssimos metros de distância.

A história exata de cada uma das salas está lá mesmo, em algumas placas que estão escritas em vários idiomas (não em português mas sim em espanhol).

Pinacoteca

Conta com 18 salas onde você encontrará as obras de arte dos maiores nomes da pintura mundial, lá estão expostos quadros de Rafael, Leonardo da Vinci, Pietro da Cortona, Caravaggio, Crespi, Tiziano, Perugino, etc. com arte a partir do século XII, até o século XIV.

Imperdível mesmo pelo valor histórico das obras, esta seção foi inaugurada em 1932, seguindo os desejos do Papa Pío XI, obra do arquiteto Luca Beltrami. Diz-se que o edifício foi construído de forma a aproveitar a melhor luz natural possível de modo a conservar e observar melhor as pinturas.

O acervo atual foi crescendo com o passar dos anos, chegando aos aproximados 460 quadros que foram espalhados pelas dezoito salas organizados cronologicamente e divididos por “escola”.
Quer passar férias inesquecíveis na Itália, conhecer o Vaticano e tantos outros destinos incríveis daquele país? Viaje bem e barato com uma empresa aérea nacional de grande qualidade! OFERTA: Passagem barata para a Itália (aqui).

Considerações Finais / Opinião

Me sinto pequeno para falar de tanta história, o Vaticano com todos seus atrativos é realmente um destino digno de se conhecer. Independente de sua religião, não estou falando de crença mas sim de história da humanidade. O que seria da documentação da história recente se não fossem os acervos da igreja católica?

Ao visitar esse espaço você está em contato com obras de todos os momentos da civilização, lá é possível ver inclusive múmias, objetos de cerâmica de milhares de anos atrás, e muito mais.

Não quis deixar tantos spoilers pois você somente poderá desfrutar de tudo o que o Vaticano tem para você ao fazer uma visita. A Basílica em si é um grande show de história de arte, se você puder faça a visita aos museus, vale muito a pena.

Você pode fazer tudo isso em um dia cheio, basta chegar cedo e preparar-se para caminhar bastante pois tudo se faz a pé, não compre o bilhete pela internet, não é necessário. Somente chegue cedo, bem cedo.

Aproveite para fazer a visita num domingo se possível para poder ver a missa do Papa ou ao menos vê-lo da janela quando a missa terminar, mas lembre-se de que aos domingos nem tudo está aberto.

É isto, um pouco de tudo o que vi no Vaticano, mas, há tanta história num mesmo local que eu posso ter perdido algo importante.

Você já foi ao Vaticano? Compartilhe sua história conosco, será um prazer bater um papo nos comentários.

Booking.com
Booking.com
Booking.com
Booking.com

24 Comentários

  1. Olá! Muitos parabéns pelo blog!
    estive em Roma 4 dias, em maio de 2015. Um deles passei no Vaticano. Comprei os bilhetes para os Museus online e realmente aconselho, porque nunca vi uma fila tão grande para entrar num sítio! Penso que houve pessoas que já não chegaram a entrar e estiveram na fila horas e horas…E valem tanto a pena! Também subi até à cúpula da Basílica, fiz parte do caminho de elevador…o pior é que depois do elevador ainda existem mais umas centenas de degraus, e a esses não há como escapar, mas a vista é maravilhosa!! E a Basílica de S.Pedro, linda, linda linda!Tive a mesma sensação de comoção do que quando visitei a Sagrada Família em Barcelona. É realmente imponente e grandiosa! No mínimo um dia inteiro para visitar o Vaticano, e ir de manhã bem cedo, porque apesar de a entrada ser gratuita na Basílica, a fila para a revista pode ser bem grande…no dia em que eu fui, cheguei eram 9h e já estive quase 50 minutos à espera.
    Boas viagens! 🙂

  2. Olá André! Estou planejando viajar para Italia em Maio de 2016. Gostaria de saber, quanto maios ou menos, se gasta na visita ao Vaticano? E quanto se gasta em média em Roma?

    Grande abraço!!!

  3. Muito bom os comentários!

    Parabéns pela paciência em dividir tantas informações!

    Só faltou uma localização que é visita obrigatória (na minha opinião) também, que é a Cripta do Vaticano, onde estão enterrados inúmeros Papas como João Paulo II e o sepulcro de Pedro !

    Abraços

  4. Olá!

    Uma bela surpresa encontrar sue blog. Adorei. Parabéns. Já salvei nos mus favoritos e será um site de visita constante (e recomendada).
    Pretendo ir para Itália (Roma e Florença estão no meu roteiro). E o Vaticano será ponto obrigatório.
    Estou escrevendo para agradecer e, é claro, abusar e fazer uma pergunta: hospedagem.
    Você teria alguma dica legal, daquelas que não sejam pega-turistas?

  5. olá André, Boa Noite…
    Conheci seu blog hoje e estou adorando suas dicas…
    Estarei indo em outubro para Europa e em um dos meus roteiros, o Vaticano esta incluso… Estarei chegando em Roma na Segunda-Feira a noite e permaneço la por mais três dias, logo não estarei no domingo.
    Você sabe informar os dias que o papa se apresenta aos fieis, de fora da Basílica para a hora do Angelus ?
    Ou se isso só acontece aos Domingos?

    Aguardo Resposta

  6. Olá André! Primeiramente, parabéns! Adorei as dicas!!
    Vou para Europa em julho e terei apenas 1 dia e meio em Roma, então, gostaria de saber se consigo fazer todo esse roteiro do Vaticano, saindo bem cedinho do hotel, até às 16hs, pois meu vôo volta à noite para o Brasil! Obrigada.

  7. Obrigado André. Alem do seu relato, vou utilizar a dica que você deu para a Adriana. Vou ficar dois dias em Roma.

    Obrigado novamente e parabens.

    Nogueira

  8. André, que legal a iniciativa do seu blog. Obrigada por compartilhar suas dicas e experiências de viagem conosco.
    Pretendo conhecer a Itália logo, na verdade meu e eu gostaríamos de fazer um tour pela Europa, mas o local principal em vista, de fato, é o Vaticano.
    Quantas horas de vôo até Roma?

    Obrigada!

    • Olá Thaís, tudo bem?
      Perdão se não entendi corretamente, você perguntou quantas horas de vôo do Brasil até Roma, vamos supor, partindo de São Paulo?
      A duração do vôo é aproximadamente 11 horas.

      Posso lhes ajudar bastante sobre o Vaticano, estive lá duas vezes este ano.
      Até já.

  9. Estou conhecendo o blog de vcs hj e fuçando em vários posts rs, ainda não fui pra Roma, apesar de já ter ido pra Europa diversas vezes. Preciso consertar esse erro urgentemente!!! Gostei de como vcs organizaram o post, sigo uns 200 blogs de viagem e sinceramente acho que nunca tinha visto um tão completo falando sobre tudo do Vaticano!

    • Obrigado pelo comentário Fernanda, fico muito feliz que tenhas gostado. Eu fui duas vezes ao Vaticano e tive a oportunidade de conhecer os dois últimos Papas em atividade. Fui em Janeiro para ver Bento XVI e depois voltei para conhecer o Papa Francisco em março. Adorei, vale a pena.

  10. Muito bom, gostei das dicas, irei em outubro e será rápido em Roma, só terei dois dias lá, então queria saber quais as salas mais importantes do Vaticano , porque sei que não dará tempo visitar tudo.

    • Olá Adriana, tudo bem?
      Também fui dois dias ao Vaticano em minha primeira visita, considero o tempo suficiente.
      No primeiro dia vá a Basilica de São Pedro, a visitação é gratuita, conheça a praça, passeie por tudo e aproveite para tirar muitas fotos externas.

      No segundo dia visite o Museu do Vaticano, onde é possível conhecer toda a história e as coleções de todos os papas, existem muitas relíquias lá dentro. O passeio pelo museu termina na Capela Sixtina, um dos locais mais exclusivos do Vaticano com a pintura feita por Michelangelo.

      Você pode comprar as entradas aqui:
      http://biglietteriamusei.vatican.va/musei/tickets/index.html

      É melhor comprar antes e evitar filas, em alta temporada isso é muito importante, agora no meio do ano a Europa está fervendo de visitantes.

      O museu não é tão grande quanto o Louvre, você consegue fazer num dia, uma dica é pegar um audioguia, será útil para aproveitar melhor seu tempo!

      Obrigado por comentar.

DEIXE UMA RESPOSTA